Páginas

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Cerveja (Beer)

Cerveja (Beer) - Charles Bukowski - A Tradução Livre

Eu não sei quantas garrafas de cerveja
eu consumi enquanto esperava as coisas
melhorarem
eu não sei quanto vinho e uísque
e cerveja
principalmente cerveja
eu consumi depois
de terminar com mulheres -
esperando o telefone tocar
esperando pelo som de passos,
e o telefone tocar
esperando pelo som de passos,
e o telefone nunca toca
até muito tarde
e os passos nunca chegam
até tarde demais
quando meu estômago está saindo
pela minha boca
elas vêm tão frescas como flores primaveris:
"que merda você fez a si mesmo?
vai demorar 3 dias antes de poder me foder!"

domingo, 9 de setembro de 2012

Transporte em filmes (Transport in films)

Transporte em filmes (Transport in films) - J. B. Priestley - A Tradução Livre

Ninguém menciona isso – mas o que me encanta mais no mundo irreal dos filmes é o seu transporte, tão diferente do nosso. Essas disposições e meios de transporte parecem a mim muito mais fascinantes do que os rostos e figuras das estrelas femininas. A viagem no mundo dos filmes é tão calma, pontual, rápida e fácil. Aqui no mundo real, onde objetos são tanto pesados quanto maldosos, nós nos movemos com dificuldade. Nossos carros se recusam a dar a partida – ou, quando dão, tremem e nos sacodem. Táxis nem sempre são encontrados, e quando são, geralmente se comportam mal. Trens estão frequentemente atrasados tanto na chegada quanto na partida. Uma vez em operação, eles fazem barulho e rugem e podem nos causar dor de cabeça. Os navios, na maior parte das vezes, zarpam algumas horas depois da hora própria; eles cheiram à tinta, repolho, óleo protetor e água de esgoto; eles tremem e rolam e lançam; e chegam na noite de quinta-feira ao invés da manhã de terça-feira. Quanto à viagem aérea, ela consiste na maior parte das vezes de longas esperas em barracões assombrados por charutos obsoletos ou em campos de pouso ventosos.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Lendo na cama sobre mau tempo (Reading in bed about foul weather)

Lendo na cama sobre mau tempo (Reading in bed about foul weather) - J. B. Priestley - A Tradução Livre

Há uma alegria peculiar, a qual eu ainda vivencio, embora eu a tenha melhor vivido enquanto garoto, em confortavelmente ler sobre mau tempo ao mesmo tempo em que o mau tempo está igualmente alvejando as janelas, quando um está seguramente posicionado entre o vento e chuva e geada lá fora e o vento e chuva e a geada saltam da página para a mente.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Carson McCullers (Carson McCullers)

Carson McCullers (Carson McCullers) - Charles Bukowski - A Tradução Livre


ela morreu de alcoolismo
enrolada em um cobertor
sobre uma espreguiçadeira
em um navio
no oceano.

todos seus livros de
solidão aterrorizada

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Vozes (Voices)

Agora eu faço uma folha de vozes -- pois eu não encontrei nada mais forte do que elas são,
e eu descobri que nenhuma palavra dita, mas é bonita, em seu lugar.

Ó, que há em mim que me faz tremer tanto com as vozes?
Certamente, quem quer que fale comigo com a voz certa, a ele ou ela devo eu seguir.
Como a água segue a lua, silenciosamente, com passos fluídos, em qualquer lugar do globo.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Você está bebendo? (Are you drinking?)

Você está bebendo? (Are you drinking?) - Charles Bukowski - A Tradução Livre

lavado, na praia, o velho caderno amarelo
aparece novamente.
eu escrevo sobre a cama
como eu fiz ano passado.
verei o médico,
segunda-feira.


sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Uma canção (A song)

Venha, eu vou tornar o continente indissolúvel;
eu vou fazer a mais esplêndida corrida sobre a qual o sol jamais brilhou;
eu vou criar divinas terras magnéticas,
com o amor dos camaradas,
com o amor perpétuo dos camaradas.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Uma promessa à Califórnia (A promise to California)

Uma promessa à Califórnia,
também aos grandes Planaltos Pastorais, e para o Oregon:
peregrinando no leste um pouco mais, logo eu viajarei até vocês, para ficar,
para ensinar o robusto amor americano;
pois eu sei muito bem que eu e o robusto amor pertencemos ao seu interior,
e ao longo do Mar Ocidental;
pois esses estados tendem ao interior, e em direção ao Mar Ocidental --
e eu também irei.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Uma silenciosa aranha paciente (A noiseless patient spider)

Uma silenciosa aranha paciente,
eu marquei onde, sobre um pequeno promontório, ela ficou, isolada;
marquei como, para explorar o vago e vasto torno,
ela lançava à frente fios, fios, fios de si mesma;
sempre desenrolando-os -- sempre incansavelmente acelerando-os.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Lady Lazarus (Lady Lazarus)

Eu fiz novamente.
Um ano em cada dez
eu consigo --

um tipo de milagre ambulante, minha pele
brilhante como um abajur nazista,
meu pé direito

um peso de papel,
minha face, um inexpressivo, fino
linho judeu.

Tire o lenço,
ó meu inimigo.
Eu te assusto? --

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Reconciliação (Reconciliation)

Sobre tudo a palavra, bela como o céu,
                     belo que aquela guerra e todas as suas ações de carnificina, devam em tempo ser completamente perdidas,
                     que as mãos das irmãs Morte e Noite incessantemente lavem gentilmente mais uma vez,
                                                                                                       e nunca de novo, esse mundo sujo;
                     pois meu inimigo está morto, um homem divino como eu está morto,
                     eu olho para onde ele está pálido e parado no caixão -- eu me aproximo,
                     inclino-me e toco levemente com meus lábios a branca face no caixão.

domingo, 5 de agosto de 2012

Eu sou vertical (I am vertical)

Mas eu preferiria ser horizontal.
Eu não sou uma árvore com minha raiz no solo
sugando minerais e amor maternal
para que em cada março eu possa brilhar em folhas,
nem eu sou a beleza de um canteiro de jardim
atraindo minha fatia de suspiros e espetacularmente pintada,
sem saber que devo logo florescer.
Comparada a mim, uma árvore é imortal
e uma flor não é alta, mas mais surpreendente,
e eu quero a longevidade de uma e a ousadia da outra.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

O coração risonho (The laughing heart)

O coração risonho (The laughing heart) - Charles Bukowski - A Tradução Livre


sua vida é sua vida
não a deixe ser surrada para os úmidos becos da submissão.
fique atento.
há maneiras de fugir.
há uma luz em algum lugar.
ela pode não ser muito clara, mas
ela supera a escuridão.
fique atento.
os deuses oferecerão chances a você.
conheça-as.
apanhe-as.
você não pode ganhar da morte, mas
você pode derrotá-la em vida, algumas vezes.
e quanto mais você aprender como fazer isso,
mais luz haverá.
sua vida é sua vida.
conheça-a enquanto você a tiver.
você é maravilhoso
os deuses esperam se deliciar
com você.


O coração risonho (The laughing heart) - Charles Bukowski - A Tradução Livre

segunda-feira, 2 de julho de 2012

O Fazendeiro e a Cobra (The Farmer and the Snake)

O Fazendeiro e a Cobra (The Farmer and the Snake) - Esopo - A Tradução Livre

E um inverno, um Fazendeiro encontrou uma Cobra rígida e congelando de frio. Ele se compadeceu por ela e, apanhando-a, trouxe-a consigo. A Cobra rapidamente se recobrou com o calor, e retomando seus instintos naturais, mordeu seu benfeitor, infligindo sobre ele um ferimento mortal. "Oh," choramingou o Fazendeiro em seu último suspiro, "eu fui justamente castigado por ter piedade de uma tão miserável criatura."

Mesmo a melhor bondade não mudará o ingrato.


O Fazendeiro e a Cobra (The Farmer and the Snake) - Esopo - A Tradução Livre

domingo, 1 de julho de 2012

Os lixeiros (The trash men)

Os lixeiros - Charles Bukowski - A Tradução Livre

Lá vêm eles
esses caras
o caminhão cinza
o rádio ligado

eles estão com pressa

é bem emocionante:
a camisa aberta
barrigas à mostra

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Jovem em Nova Orleans (Young in New Orleans)

faminto ali, sentado pelos bares,
e à noite andando pelas ruas por
horas,
a luz da lua sempre me pareceu falsa,
talvez ela fosse,
e no Bairro Francês eu assisti
aos cavalos e carroças passarem,
todos sentados nas carruagens
abertas, o condutor negro, e atrás
o homem e a mulher,
geralmente jovens e sempre brancos.
e eu era sempre branco.
e dificilmente encantado pelo
mundo.
Nova Orleans era um local para
se esconder.
eu poderia desperdiçar minha vida
sem ser incomodado.
exceto pelos ratos.
os ratos, em meu pequeno quarto escuro,
muito ressentiam por ter que o dividir comigo.
eles eram grandes e corajosos
e me olhavam com olhos
que expressavam
a morte
sem pestanejar.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

O pior e o melhor (The worst and the best)

O pior e o melhor - Charles Bukowski - A Tradução Livre

nos hospitais e cadeias
está o pior
em hospícios
está o pior
nos galpões
está o pior
nos cortiços derrapantes
está o pior
nos saraus poéticos
nos shows de rock
na beneficência para os deficientes
está o pior
em funerais
em casamentos
está o pior
em desfiles
em rinques de patinação
em orgias sexuais
está o pior
à meia-noite
às 3 da madrugada
às 5:45 da tarde
está o pior

História real (True Story)

História real - Charles Bukowski - A Tradução Livre

eles o encontraram andando junto à pista
todo em vermelho
na sua frente
ele pegara uma lata enferrujada
e cortado sua máquina
sexual
como para dizer --
vê o que fiz comigo?
você pode muito bem
pegar o resto.

quarta-feira, 14 de março de 2012

Corte durante o barbear (Cut while shaving)

Corte durante o barbear - Charles Bukowski - A Tradução Livre

Nunca está realmente certo, ele disse, o jeito que as pessoas
olham,
o jeito que as músicas tocam, o jeito que as
palavras são
escritas.
Nunca está realmente certo, ele disse, todas as coisas que
aprendemos, todos os amores que buscamos, todas as mortes que
morremos, todas as vidas que vivemos,
elas nunca estão bem certas,
elas estão muito longe do certo,
essas vidas que vivemos
uma após a outra,
empilhadas lá como história,
o lixo das espécies,
o esmagamento da luz e do caminho,
não está bem certo,
está longe do certo mesmo
ele disse.

Vacas na aula de arte (Cows in art class)

Vacas na aula de arte - Charles Bukowski - A Tradução Livre

tempo bom
é como
mulheres boas -
nem sempre acontece
e quando acontece
nem sempre
dura muito.

sábado, 18 de fevereiro de 2012

O Homem e o Sátiro (The Man and the Satyr)

O Homem e o Sátiro - Esopo - A Tradução Livre

Um Homem se perdeu em uma floresta numa noite amarga de inverno. Enquanto estava perambulando, um Sátiro veio até ele e, percebendo que estava perdido, prometeu-o um alojamento para a noite e também guiá-lo para fora da floresta pela manhã. 
Enquanto ia para a habitação do Sátiro, o Homem ergueu suas duas mãos até a boca e se manteve assoprando-as.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

O Homem e suas duas Esposas (The Man and his two Wives)

O Homem e suas duas Esposas (The Man and his two Wives) - Esopo - A Tradução Livre

Nos dias antigos, quando aos homens era permitido ter muitas esposas, um Homem de meia-idade tinha uma que era velha e uma que era moça; cada uma amando-o muito, e desejando vê-lo feliz como a si mesma. Agora, o cabelo do Homem estava ficando cinza, o que a Esposa nova não gostava, pois o fazia parecer muito velho para ser seu marido. Então toda noite ela costumava escovar seu cabelo e retirar os fios brancos. Mas a Esposa mais velha observava seu marido envelhecer com grande prazer, assim ela não seria confundida com sua mãe. Então em cada manhã ela costumava arrumar seu cabelo e arrancar o máximo de fios pretos quanto fosse possível. A consequência foi que o Homem logo se viu completamente careca.

Conceda a todos e logo você não terá mais nada a conceder.

O Homem e suas duas Esposas (The Man and his two Wives) - Esopo - A Tradução Livre

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

O Leão, a Raposa e as Feras (The Lion, the Fox and the Beasts)

O Leão, a Raposa e as Feras - Esopo - A Tradução Livre


O Leão uma vez disse que estava doente, perto de morrer, e convocou os animais para virem e ouvirem seu último pedido e testamento. Então a Cabra veio à caverna do Leão, e lá ficou ouvindo por muito tempo. Depois, uma Ovelha entrou lá, e antes dela sair, um Bezerro chegou para receber os últimos desejos do Senhor das Feras. Mas logo o Leão aparentava estar recuperado, e veio para a entrada de sua caverna, e viu a Raposa, que estava aguardando há algum tempo do lado de fora.

Para Jane: com todo o amor que tive, que não foi suficiente (For Jane: with all the love I had, which was not enough)

Para Jane: com todo o amor que tive, que não foi suficiente - Charles Bukowski - A Tradução Livre

eu pego a saia,
eu pego as pérolas brilhantes
em negro,
essa coisa que se moveu uma vez
pela carne,
e eu chamo Deus de mentiroso,

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Para Jane (For Jane)

Para Jane - Charles Bukowski - A Tradução Livre

225 dias sob a grama
e você sabe mais do que eu.
há muito eles tiraram seu sangue,
você é um galho seco numa cesta.
é assim que funciona?
nesse quarto
as horas de amor ainda fazem sombras.

Declínio (Decline)

Declínio - Charles Bukowski - A Tradução Livre

pelado junto à lateral da casa,
8 da manhã, espalhando óleo de gergelim
sobre meu corpo, Jesus, como vim parar
aqui?

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Consumação do luto (Consummation of the grief)

Consumação do luto - Charles Bukowski - A Tradução Livre

eu ainda ouço as montanhas
a maneira como elas riem
pra cima e pra baixo de seus lados azuis
e abaixo na água
os peixes choram
e a água
é o seu choro.

O Leão apaixonado (The Lion in love)

O Leão apaixonado - Esopo - A Tradução Livre

Uma vez um Leão se apaixonou por uma bela donzela e pediu sua mão a seus pais. Os velhos senhores não sabiam o que dizer. Eles não gostariam de entregar sua filha ao Leão, mas menos ainda de enfurecer o Rei dos Animais. Por fim, o pai disse: "Sentimo-nos altamente honrados pela proposta de Sua Majestade, mas há de notar que nossa filha é uma doce jovem, e nós tememos que na veemência de sua afeição possa talvez causar algum ferimento a ela. Posso eu me aventurar a sugerir que Sua Majestade tenha suas garras removidas, e seus dentes extraídos, assim poderíamos alegremente considerar sua proposta novamente." O Leão estava tão apaixonado que teve suas garras aparadas e seus grandes dentes arrancados. Mas quando retornou para os pais da jovem donzela, eles simplesmente riram em sua frente, e disseram-lhe que fosse embora.
O amor pode domesticar o mais selvagem.

O Leão apaixonado - Esopo - A Tradução Livre

Eu estou apaixonada (I'm in love)

Eu estou apaixonada - Charles Bukowski - A Tradução Livre

ela é nova, ela disse,
mas olhe para mim,
eu tenho belos tornozelos,
e olhe meus pulsos, eu tenho belos
pulsos.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

A imagem divina (The Divine Image)

A imagem divina - Willian Blake - A Tradução Livre

A Crueldade tem um coração humano.
E o Ciúme tem uma face humana;
O Terror a forma humana divina,
e o Segredo a veste humana.

Grande noite na cidade (Big night on the Town)

Grande noite na cidade - Charles Bukowski - A Tradução Livre

bêbado nas ruas escuras de alguma cidade,
é de noite, você está perdido, onde está seu
quarto?
você entra num bar para se encontrar,
pede uísque e água.
o maldito bar está encharcado, e molha
parte de uma das mangas da sua
camisa.

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Seja gentil (Be kind)

Seja gentil - Charles Bukowski - A Tradução Livre

a nós sempre foi pedido
para entender o ponto de vista
da outra pessoa
não importa quão
antiquado,
insensato ou
desagradável.


O Homem Careca e a Mosca (The Bald Man and the Fly)

O Homem Careca e a Mosca - Esopo - A Tradução Livre

Uma vez houve um Homem Careca que se sentou depois do trabalho, em um dia quente de verão. Uma Mosca veio e manteve-se zumbindo sobre sua cabeça careca, e picava-o de tempos em tempos. O Homem armou um golpe contra sua pequena inimiga, mas sua palma veio diretamente contra sua cabeça; novamente a Mosca o atormentou, mas desta vez o Homem foi mais inteligente e disse:

- Você apenas se machucará se der atenção a inimigos desprezíveis.

O Homem Careca e a Mosca - Esopo - A Tradução Livre

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Sozinho com todos (Alone with everybody)

Sozinho com todos - Charles Bukowski - A Tradução Livre

carne cobre os ossos
e colocam uma mente
lá e
algumas vezes uma alma,
e as mulheres quebram
vasos contra as paredes
e os homens bebem
muito

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Depois e Agora (Then and Now)

Depois e Agora - Paul Laurence Dunbar - A Tradução Livre

DEPOIS

Ele a amou, e por muitos anos
pagou por sua leal corte devota,
até que ela se cansou, e com escárnios
transformou seu ardente amor em chacota.
Naquela noite, em sua câmara, isolado,
ele escreveu por longo tempo junto à cama
uma nota na qual seu coração foi despedaçado
por amor; a manhã o encontrou morto e sem alma.

Um poema quase feito (An almost made up poem)

Um poema quase feito - Charles Bukowski - A Tradução Livre

Eu te vejo bebendo em uma fonte com minúsculas
mãos azuis, não, suas mãos não são minúsculas,
elas são pequenas, e a fonte fica na França
onde você me escreveu aquela última carta e
eu respondi e nunca mais ouvi falar de você.
Você costumava escrever poemas insanos sobre
ANJOS E DEUS, todos em maiúscula, e você
conhecia artistas famosos e muitos deles
eram seus amantes, e eu escrevi de volta, tudo certo,
vá em frente, entre em suas vidas, não tenho ciúme
porque nunca nos encontramos. Nós chegamos perto uma vez em
Nova Orleans, uma meia quadra, mas nunca nos encontramos, nunca
nos tocamos. Então você se foi com famosos e escreveu
sobre os famosos, e, claro, o que você descobriu
é que os famosos estão preocupados com
sua fama -- não com a bela garota jovem na cama
com eles, que dá pra eles aquilo, e depois acorda
de manhã para escrever poemas em letra maiúscula sobre
ANJOS E DEUS. Sabemos que Deus está morto, eles nos disseram,
mas ao ouvir você eu não estava certo. Talvez fossem as
maiúsculas. Você foi uma das melhores poetisas e eu disse aos editores,
"ela, edite-a, ela é louca mas é mágica.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Avarento e Invejoso (Avaricious and Envious)

Avarento e Invejoso - Esopo - A Tradução Livre

Dois vizinhos foram ao deus Júpiter e lhe pediram que atendesse aos pedidos de seus corações. Agora um estava cheio de avareza, enquanto o outro era tomado pela inveja. Então, para punir ambos, Júpiter garantiu que cada um tivesse aquilo que desejava para si mesmo, mas sob a condição de que seu vizinho teria aquilo em dobro.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Os Dois Relógios (The Two Clocks)

Os Dois Relógios - Lewis Carroll - A Tradução Livre

O que é melhor, um relógio que esteja certo apenas uma vez ao ano, ou um relógio que esteja certo duas vezes ao dia?
"O último," você responde, "inquestionavelmente." Muito bem, agora observe.
Eu tenho dois relógios: um não se move de jeito nenhum, e o outro atrasa um minuto por dia: qual você preferiria? 
"O atrasado," você responde, "sem dúvida."
Agora observe: o que atrasa um minuto por dia tem que atrasar doze horas, ou setecentos e vinte minutos antes de estar certo novamente, consequentemente só fica certo uma vez a cada dois anos, enquanto o outro fica evidentemente certo tão logo seja a hora que ele marca, o que ocorre duas vezes ao dia.
Então você se contradisse uma vez.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Sozinho (Alone)

Sozinho - Edgar Allan Poe - A Tradução Livre


Nas horas de minha infância não fui
Como outros eram - tampouco vi
Como outros viram - não pude trazer
Minhas paixões de um comum prazer.
Da mesma fonte não pude retirar
Meu pesar; eu poderia não acordar
Meu coração para a mesma felicidade;
E tudo que amei, amei em solitude.
Depois - em minha infância - na escuridão
De uma turbulenta vida - foi esboçado então
De cada pedaço de bem e de mau
O mistério que vincula-se a mim, afinal:
Da torrente, ou da fonte,
Do penhasco vermelho do monte,
Do sol que ao redor de mim envolve
Em um matiz dourado como nunca houve -
Dos raios do céu alto
E quando por eles era envolto -
Dos trovões e a tempestade,
E a nuvem cuja forma, e vontade
(Quando era azul o resto do Paraíso)
De um demônio a atormentar meu juízo.

A Formiga e o Gafanhoto (The Ant and the Grasshopper)

A Formiga e o Gafanhoto - Esopo - A tradução Livre

As formigas gastavam um belo dia de inverno secando grãos coletados no verão. Um gafanhoto, perecendo de fome, sinceramente implorou por um pouco de comida.
As formigas assim lhe perguntaram:

- Por que não guardou comida durante o verão? 

Eis que o gafanhoto respondeu:

- Eu não tinha lazer o suficiente. Eu passei os dias a cantar.  

Então, as formigas disseram, com escárnio:

- Se você foi tolo o suficiente para cantar durante todo o verão, você deve dançar para a cama sem jantar no inverno.


A Formiga e o Gafanhoto - Esopo - A tradução Livre
atraducaolivre.blogspot.com.br no linkto